Entenda!

Meias de compressão evitam a “Síndrome do Viajante”

O Tromboembolisimo Venoso (TEV) é um distúrbio do sistema circulatório com potencial para se tornar uma doença gravíssima. O TEV compreende a Trombose Venosa Profunda (TVP) e a Embolia Pulmonar (EP). De acordo com a Sociedade Norte-Americana de Cirurgia Vascular (SVS) esse problema ocorre em 50 a cada 100.000 pessoas por ano naquele país, e segundo a Fundação para Doenças Vasculares dos EUA (VDF) cerca de 100.000 norte-americanos morrem anualmente em decorrência da doença. Além disso, de acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), o Tromboembolismo Venoso é a principal causa de óbito em pacientes internados no Brasil. Frente a esse alarmante cenário, todos devem estar bem informados para tentar prevenir este problema.

Uma das principais causas do TEV é a estase, ou lentidão, do fluxo sanguíneo dentro das veias, situação muito comum em viagens longas, de onde originou-se o nome “síndrome do viajante”. O “Estudo sobre os Riscos de Viagens Longas da Organização Mundial de Saúde – WRIGHT” concluiu que um a cada 6.000 indivíduos desenvolverão TEV após uma viagem de 4h ou mais, e esse risco é ainda maior caso haja outros fatores associados como:

• Histórico de TVP e/ou EP no paciente ou familiares próximos
• Uso de contraceptivos hormonais ou Terapia de Reposição Hormonal (TRH)
• Gestação
• Trauma físico ou cirurgia recente
• Câncer
• Obesidade
• Anormalidades genéticas da coagulação sanguínea
• Varizes
• Tabagismo

E a principal forma de reduzir ou amenizar a estase sanguínea é adotar alguns simples mas valiosos cuidados durante esses deslocamentos, sejam de avião, ônibus, trem ou automóvel. Algumas dicas simples:

• Movimentar-se regularmente enquanto estiver sentado, fazendo movimentos para frente e para trás com os pés
• Evitar por a bagagem de mão sob a poltrona da frente para que não dificulte os movimentos das pernas
• Levantar-se e caminhar no corredor a cada 2-3h, se possível aproveitar para realizar agachamentos e para flexionar as pernas
• Evitar uso de sedativos (assim como excesso de bebidas alcoólicas), principalmente na classe econômica, para não permancer muitas horas seguidas em uma posição desconfortável
• Usar roupas confortáveis, nunca apertadas.
• Utilizar meias de compressão graduada (“meias elásticas”).

O uso das meias de compressão graduada auxilia tanto na prevenção do TEV quanto aumenta o conforto, evitando o famoso “inchaço nas pernas” ao fim de uma longa viagem. Meias de suave compressão (15-20mmHg), também denominadas “preventivas” são vendidas na maioria das farmácias e lojas de departamentos, inclusive dentro dos aeroportos de todo o mundo, não necessitando prescrição médica. Entretanto, pacientes com algum fator de risco associado devem sempre procurar um médico antes de viajar para que a meia de compressão graduada ideal seja prescrita.

Refrências bibliográficas:

1. Clinical Practice Guidelines of the Society for Vascular Surgery and the American Venous Forum. Early thrombus removal strategies for acute deep venous thrombosis. Meissner MH, Gloviczki P, Comerota AJ et al. J Vasc Surg, 2012
2. Vascular Disease Foundation Guidelines. www.vasculardisease.org
3. Immobility, circulatory problems and deep vein thrombosis (DVT). International Travel and Health. World Health Organization (WHO). www.who.int
4. www.sbacv.com.br

 

Angiocare Serviços Médicos S/S. LTDA Rua Itapeva 378, Cj 144 - São Paulo (SP). Copyright © 2017 Todos os direitos reservados.